Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

sexta-feira, 15 de abril de 2022

FAB realizará treinamento de Busca e Salvamento na região Sul

 

Foto: Marcelo Lobo da Silva (acervo pessoal)

A partir do próximo final de semana até o dia 7 de maio, a Base Aérea de Florianópolis (BAFL), localizada em Santa Catarina, será sede de um grande treinamento envolvendo diversas Organizações e Unidades Aéreas da Força Aérea Brasileira. O Exercício Operacional de Busca e Salvamento (EXOP Carranca), contará com a participação de cerca de 350 militares, além de diversas aeronaves da FAB e tem por objetivo adestrar as Unidades Aéreas e o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS) na execução de técnicas necessárias ao cumprimento de missões de Busca e Salvamento. Segundo o Chefe da Divisão de Busca e Salvamento (DSAR) do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Major Aviador Bruno Vieira Passos, o treinamento visa também aprimorar o planejamento e a interação entre os órgãos de coordenação e as unidades de execução de missões SAR em cenários terrestres e marítimos.

Foto: Marcelo Lobo da Silva (acervo pessoal)

A operação envolverá duas grandes Organizações da FAB, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e o Comando de Preparo (COMPREP), com a presença dos Esquadrões Orungan (1º/7º GAv); Phoenix (2º/7º GAv); Netuno (3º/7º GAv); Gordo (1º/1º GT); Pelicano (2º/10º GAv), além do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARA-SAR). Pelo DECEA, farão parte os cinco Centros de Coordenação de Busca e Salvamento Aeronáutico (SALVAEROS): Amazônico, Recife, Atlântico, Curitiba e Brasília, além de militares da Divisão de Busca e Salvamento do DECEA. Participarão também integrantes da Marinha do Brasil (SALVAMAR), da Base Aérea de Canoas, que compõe a Direção do Exercício (DIREX) e da Base Aérea de Florianópolis, dando suporte e apoio à execução do adestramento. Durante o treinamento serão ativados dois Subcentros de Salvamento que funcionarão concomitantemente no planejamento e na coordenação das missões de Busca e Salvamento atendendo às demandas de voo da DIREX.

quarta-feira, 6 de abril de 2022

O Futuro chegou! A Caça brasileira ganha novas asas

Na tarde desta quarta-feira, 6 de abril, os dois primeiros Gripen E de produção em série da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram do Aeroporto Internacional Ministro Victor Konder (NVT/SBNF), em Navegantes, situado no litoral norte de Santa Catarina, com destino a Gavião Peixoto (GPX/SBGP) no interior paulista, onde localiza-se o Centro de Ensaios em Voo do Gripen, instalação mantida pela Embraer e pela Saab, parceiras no projeto e na construção das aeronaves. Os aviões a partir de agora se juntam ao exemplar de testes (matriculado como FAB 4100), recebido em setembro de 2020 e que desde então vem cumprindo um extenso programa de avaliações e ensaios em voo. De acordo com o cronograma de entregas, ainda no primeiro semestre deste ano mais uma dupla de aeronaves deverá ser despachada ao Brasil. Esses quatro aviões, após receberem sua Certificação de Tipo Militar, serão os primeiros a serem incorporados ao Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), com sede na Ala 2 em Anápolis/GO, Unidade Aérea escolhida para iniciar a operação do modelo na FAB. O blog Aviação em Floripa a partir da última sexta-feira, data em que o navio chegou ao Porto de Navegantes, vem acompanhando de perto todos os passos deste momento histórico para a Força Aérea Brasileira e compartilha com seus leitores esta reportagem especial trazendo um relato detalhado de tudo que aconteceu desde a saída do navio da Suécia até a decolagem de Navegantes, com muitas fotos, mapas e diagramações exclusivas. Boa leitura!!!

Nota Editorial: A presente matéria tem o objetivo de mostrar, através de informações e imagens, todas as etapas da chegada dos dois primeiros Gripen de série destinados à Força Aérea Brasileira em sua passagem por Santa Catarina. Para quem é novo no blog e não viu a matéria publicada a respeito do primeiro avião entregue em setembro de 2020 ou quiser saber mais detalhes e características sobre a aeronave e seu projeto, basta clicar na imagem abaixo.




Diário de Missão - Parte 1: Por Mar

Os aviões partiram da Suécia no dia 10 de março, onde foram embarcados no Porto de Norrköping a bordo do navio de carga geral MV Marsgracht, de bandeira holandesa, com a saída da embarcação acontecendo no início da tarde pelo Horário de Brasília. Entretanto, a movimentação havia começado já no dia anterior, com os Gripen E de matrículas FAB 4101 e FAB 4102 decolando do Aeroporto de Linköping (LPI/ESSL), onde fica a planta industrial da Saab, rumo ao Aeroporto Kungsängen (NRK/ESSP) em Norrköping, separados por apenas 50 quilômetros de distância. De lá, durante a noite, foram rebocados pelas ruas da cidade em direção ao porto, numa logística semelhante ao que aconteceu aqui em Santa Catarina no final de semana passado, só que de maneira inversa ao ocorrido na Suécia, ou seja, com as duas aeronaves seguindo por via terrestre das instalações da Portonave para o Aeroporto de Navegantes e de lá para Gavião Peixoto.

Localização dos Aeroportos de Linköping (LPI/ESSL) e Kungsängen (NRK/ESSP). Fonte: Arte própria, utilizando o Google Maps.

FAB 4102 sendo rebocado pelas ruas de Norrköping em direção ao porto. Crédito: Thomas Möller

Imagem captada no momento em que o "Marsgracht" deixava o Porto de Norrköping no início da tarde (pelo Horário de Brasília) do dia 10 de março. O blog Aviação em Floripa, antes mesmo da partida do navio, foi o primeiro veículo de imprensa a noticiar o nome da embarcação que estava trazendo os aviões, confirmando também o seu local de destino. Fonte: Arte própria, a partir de imagem do site Marine Traffic.

Os dois Gripen que chegaram a Santa Catarina fazem parte de um lote de 36 aviões adquiridos pela Força Aérea Brasileira em outubro de 2014, quando o acordo de desenvolvimento e compra das aeronaves foi assinado. São 28 exemplares monopostos (designados na FAB como F-39E) mais 8 do modelo com dois assentos, versão exclusiva do Brasil e denominada de F-39F. Estes últimos serão construídos integralmente no país. Os aviões recebidos neste final de semana são os primeiros exemplares de produção em série, com todos os sensores e equipamentos de missão previstos em contrato já incorporados às aeronaves e também ostentando o padrão de pintura e as marcações adotadas pela Força Aérea Brasileira. Quatro Gripen E, incluindo estes dois, foram oficialmente recebidos pela FAB em Linköping, na Suécia, no final de novembro de ano passado, numa cerimônia que contou com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Júnior. De lá para cá, os aviões passaram pelos últimos ajustes e testes de voo e foram preparados para serem enviados ao Brasil.

Comandante da Aeronáutica, Ten.-Brig. Baptista Jr, diante dos aviões na fábrica da Saab, na Suécia, em novembro do ano passado. Crédito: FAB

A viagem entre os Portos de Norrköping e Navegantes durou cerca de três semanas. A embarcação contratada para a operação de traslado dos aviões ao Brasil foi o MV Marsgracht (IMO 9571507/SSMI 246767000), um navio de carga geral, construído na China em 2011 e pertencente ao Grupo Spliethoff, uma companhia de navegação holandesa fundada em 1921, com sede em Amsterdã. Possui 142 metros de comprimento, 18,9 metros de largura e 8,4 metros de calado (a parte do navio que fica abaixo da linha d'água). Como curiosidade e uma marca registrada da empresa, todos os navios que compõem a sua frota são batizados com nomes terminados com a palavra "gracht" (Canal, em holandês). As aeronaves e demais equipamentos de apoio vieram acondicionados em um dos dois porões de carga da embarcação, cada um deles medindo aproximadamente 64 metros de comprimento por 15 metros de largura. Cabe ressaltar que os dois jatos foram embarcados na Suécia já completamente montados (apenas sem os assentos ejetáveis e suas cargas explosivas, retiradas por motivos de segurança) e viajaram fixados ao assoalho do porão por uma estrutura especialmente projetada para este tipo de operação. Embora o transporte por via marítima seja um processo moroso, ele se mostra mais barato e seguro, pois como os aviões tem uma autonomia limitada (mesmo com tanques extras de combustível acoplados sob as asas), precisariam obter autorização para sobrevoar o espaço aéreo de diversos países, sem contar a travessia do Atlântico, sempre arriscada para uma aeronave equipada com um motor apenas. Por outro lado, o transporte a bordo de um avião cargueiro necessitaria a desmontagem de partes da estrutura (sobretudo as asas e a empenagem vertical), não sendo viável também.

Trajeto do navio entre a Suécia e o Brasil. Fonte: Arte própria com base nos dados de navegação obtidos junto ao site Marine Traffic.

Precisamente às 21 horas e 38 minutos do dia 1 de abril, o MV Marsgracht adentrou o canal do rio Itajaí-Açu que dá acesso ao complexo portuário de Itajaí/Navegantes, seguindo direto para as instalações da Portonave, no município de Navegantes. Já na manhã de sábado, ocorreu a operação de retirada dos aviões do navio que, ainda içados pelo guindaste do porto, tiveram recolocadas as rodas do trem de pouso por técnicos da Saab e da FAB, passando pelos últimos ajustes antes de seguirem para a próxima etapa. Após cumprirem os desembaraços alfandegários de praxe e a verificação de suas documentações, as aeronaves foram enfim liberadas para o traslado até o Aeroporto de Navegantes.

Imagem capturada a partir da transmissão ao vivo do canal BNU.tv, mostrando o navio prestes a iniciar a atracação no porto de Navegantes.

Video do cinegrafista Leandro L. S., registrando a chegada do MV Marsgracht ao porto de Navegantes. Clique sobre a imagem para assistir. Fonte: https://www.youtube.com/c/LeandroLS/video


Para desembarcar sua valiosa carga, o MV Marsgracht foi posicionado no "berço" 3 do porto. Os pontos azuis junto ao navio são as embarcações de apoio finalizando o procedimento de atracação. Fonte: Arte própria a partir de imagem website Marine Traffic.


Imagens do desembarque dos aviões do navio. Crédito: Shipspotting Itajaí


Aeronaves no porão de carga do navio, onde se pode ver em detalhes a estrutura destinada a fixar os aviões ao piso da embarcação. Crédito: Saab do Brasil




Operação de içamento das aeronaves, ainda sem as rodas do trem de pouso principal. Crédito: Saab do Brasil


Crédito: FAB


Diário de Missão - Parte 2: Por Terra


Localização do Porto e do Aeroporto em Navegantes. Crédito: Arte própria, a partir de imagem do Google Earth.

Rota utilizada (em amarelo) para o traslado entre o porto e o aeroporto. Crédito: Arte própria, a partir de imagem do Google Earth.

O traslado ocorreu no início da madrugada de domingo, comandada pelo Brigadeiro do Ar Antônio Luiz Godoy Soares Mioni RodriguesPresidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) e ocorreu sob a escolta de militares dos Grupos de Segurança e Defesa (GSD) de Florianópolis (SC), Canoas (RS) e Santa Maria (RS), além da atuação direta de diversas outras Organizações Militares da Força Aérea Brasileira. A operação contou ainda com o apoio da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), Guarda Municipal de Navegantes e Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). Também participaram a Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), a Prefeitura Municipal de Navegantes, Fundação Municipal de Vigilância e Trânsito (NAVETRAN) e a Receita Federal. O trajeto com cerca de dois quilômetros entre a Portonave e o Aeroporto Internacional Victor Konder levou aproximadamente uma hora e meia para ser concluído, atraindo, apesar do horário e da chuva intermitente, uma grande quantidade de pessoas para acompanhar e registrar o inusitado cortejo pelas ruas da cidade. Aliás essa proximidade entre as duas instalações e as vias retas e com boa capacidade de fluxo são os principais fatores que fizeram com que Navegantes fosse escolhida como porta de entrada no país das aeronaves adquiridas pela Força Aérea Brasileira. Acompanhe abaixo, algumas imagens de autoria do blog, mostrando o percurso dos dois aviões entre o porto e o aeroporto.




























Clique na imagem acima para assistir detalhes do desembarque e do traslado dos aviões. Fonte: Saab do Brasil

A cidade de Navegantes ainda deverá presenciar em mais algumas oportunidades toda essa movimentação, uma vez que do lote total de 36 aviões adquiridos pelo Brasil, de acordo com o contrato de compra firmado, quinze deles serão integralmente construídos na Suécia, além de mais oito unidades montadas de forma parcial lá e concluídas aqui. O restante da frota, incluindo as oito células de dois assentos, modelo como já mencionado, exclusivo da FAB, terão todo o seu processo de fabricação realizado em território nacional, totalizando 21 aeronaves finalizadas no país com participação direta de mão-de-obra local. Sendo assim, descontando a aeronave entregue em setembro de 2020 e estas duas que chegaram agora, restam ainda doze exemplares para serem enviados ao Brasil por via marítima, os quais deverão continuar a seguir, ao que tudo indica, o mesmo roteiro de entrega. Segundo a Assessoria de Comunicação da FAB, mais uma dupla de aviões já está sendo preparada na Suécia para ser despachada ao Brasil ainda no primeiro semestre deste ano.

Mapa mostrando o acesso dos aviões ao aeroporto e o local onde ficaram abrigados. Crédito: Arte própria, a partir de imagem do Google Earth.

Após ingressarem nas dependências do aeroporto, os aviões foram levados para um hangar particular, especialmente alocado para esta operação, com o objetivo de serem preparados para a decolagem rumo ao Centro de Ensaios em Voo do Gripen, em Gavião Peixoto/SP. A partir deste momento, entrou em cena a equipe de técnicos da Saab e da Força Aérea Brasileira para efetuar todos os procedimentos necessários a fim de colocar as aeronaves prontas para a condição de voo. É um trabalho minucioso e detalhista que demanda um certo tempo para ser finalizado. Além de recolocar os assentos ejetáveis e suas cargas explosivas (removidas por questões de segurança durante a viagem de navio), é preciso  realizar o abastecimento e verificar se todos os sistemas e equipamentos estão em pleno funcionamento, uma vez que os aviões ficaram mais de três semanas inertes em seu deslocamento até o Brasil. Com todos os trabalhos concluídos, foram feitos testes de solo para averiguar na prática se tudo estava de acordo e pronto para a decolagem, envolvendo a energização de todos os sistemas embarcados, acionamento e checagem de todos os parâmetros de funcionamento dos motores através de um breve taxiamento pelo pátio e pista do aeroporto. Somente após a reunião de avaliação entre os pilotos e a equipe técnica é que foi dado o sinal verde para os aviões ganharem os céus.

Aeronaves dentro do hangar destinado a elas. Fonte: Redes Sociais (autor desconhecido)

Vista geral do Aeroporto Internacional Ministro Victor Konder, em Navegantes/SC e a localização do hangar (marcada com o círculo vermelho) onde as aeronaves ficaram alojadas. Fonte: http://www.acin.com.br/

A manhã de quarta-feira ficou reservada para os testes de solo e o acionamento das aeronaves. Já logo cedo chegou a Navegantes um helicóptero H-60L Blackhawk do Esquadrão Pantera que entre as suas várias atribuições tem a função de executar missões de Busca e Salvamento. E é exatamente isso que ele veio fazer, ficar em alerta, caso durante a decolagem algum dos aviões apresentasse algum tipo de problema ou pane que levasse à ejeção do piloto. No começo da manhã as aeronaves foram retiradas do hangar, abastecidas e foram executados os testes de acionamento e taxiamento, com o FAB 4102 se dirigindo até a cabeceira 25 do aeroporto e retornando em seguida para o pátio. Seguem algumas imagens do que conseguimos registrar no período da manhã. Já antecipadamente pedimos desculpas aos nossos leitores pela qualidade das imagens a seguir pois desta vez, não foi dada à imprensa a oportunidade de acompanhar de perto quase nenhuma etapa da operação, assim tivemos que efetuar os registros fotográficos das áreas comuns e com acesso permitido.




Chegada do "Pantera Uno Zero", responsável pelo Alerta SAR durante a operação de decolagem.

















Reboque das aeronaves e teste de taxiamento do FAB 4102.

Em vermelho, a posição no pátio onde as aeronaves foram dispostas para os testes e a decolagem. Em amarelo, a rota de taxiamento do FAB 4102. Crédito: Arte própria, a partir de imagem do Google Earth.

Diário de Missão - Parte 3: Pelo Ar


Finalmente, na tarde do dia 6 de abril, chegou o tão aguardado momento para os dois primeiros F-39E Gripen de produção em série da FAB estenderem suas asas e alçarem seu primeiro voo em céus brasileiros, rumo ao Centro de Ensaios em Voo em Gavião Peixoto (SP). Digno de registro é que os aviões foram comandados por pilotos da FAB, treinados e capacitados na Suécia, e que agora tiveram o privilégio e a primazia de conduzir os aviões em seu próprio país, uma vez que em 2020, o primeiro Gripen que chegou havia sido conduzido por um piloto de testes da Saab. A partir de agora, em trabalho conjunto entre os órgãos aeronáuticos reguladores brasileiro e sueco, os pilotos de prova e técnicos das empresas Embraer e Saab, além de militares da FAB trabalharão para conceder ao F-39 Gripen, o Certificado de Tipo Militar, que é uma espécie de licença autorizando a operação do avião no país. A expectativa é de que este processo esteja concluído antes do fim deste ano e logo em seguida, as duas aeronaves estarão aptas enfim para serem entregues ao 1º GDA (Grupo de Defesa Aérea), em Anápolis (GO) e iniciarem seu pleno emprego operacional. Acompanhe abaixo algumas imagens exclusivas do blog mostrando a decolagem das aeronaves, feitas das proximidades da cabeceira 07 do aeroporto.















O Programa Gripen


Em dezembro de 2013, a Saab foi selecionada para participar da última fase do programa F-X2, que tinha por objetivo substituir a frota de aeronaves de caça da Força Aérea Brasileira (FAB). Em outubro de 2014, após todos os processos de concorrência, Saab e Governo Brasileiro assinaram o contrato para o desenvolvimento e produção de 36 aeronaves Gripen E/F, incluindo sistemas, suporte e equipamentos. Em 2015, a Saab deu início ao programa de transferência de tecnologia do Gripen, um dos maiores já realizados para a Aeronáutica e o maior já feito pela Saab para outro país. O programa visa proporcionar o conhecimento prático necessário para a execução de diversas atividades de desenvolvimento, produção e manutenção dos caças no Brasil. Até 2025, mais de 350 engenheiros e técnicos brasileiros de empresas parceiras terão participado de treinamentos teóricos e práticos na Saab, em Linköping, na Suécia.

Até o momento, aproximadamente 300 profissionais brasileiros de empresas parceiras da Saab já foram treinados e estão de volta ao país. A maioria trabalha no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design and Development Network - GDDN), localizado na planta da Embraer em Gavião Peixoto, e na fábrica de aeroestruturas da Saab em São Bernardo do Campo, ambas em São Paulo. Como parte do programa de transferência de tecnologia, em 2018, a Saab apresentou sua planta em São Bernardo do Campo, concebida para realizar a montagem de aeroestruturas do Gripen. Dois anos depois, a unidade agregou outros serviços de suporte ao mercado de defesa e civil. Além disso, é no local que será realizada a manutenção dos radares e sistemas de guerra eletrônica do F-39 Gripen.

O primeiro Gripen E chegou ao Brasil em 20 de setembro de 2020 para realizar a campanha de ensaios em voo no país no Centro de Ensaios em Voo do Gripen (Gripen Flight Test Center - GFTC). A atividade é totalmente integrada ao programa de testes que já está em andamento na Saab, em Linköping, Suécia, desde 2017. As atividades no Brasil incluem testes nos sistemas de controle de voo e de climatização, assim como testes na aeronave em condições climáticas tropicais. Em dezembro de 2021, autoridades brasileiras e suecas participaram de um evento de alto nível na Suécia para apresentação das seis primeiras aeronaves de produção em série que saíram da fábrica e entraram em fase de entrega. Na oportunidade, as delegações de ambos os países também tiveram a oportunidade de discutir as atividades conjuntas futuras para o Programa Gripen E.

Fonte do texto: Assessoria de Imprensa da Saab, adaptado pelo autor.




A La Chasse!!! Seja muito bem-vindo, Gripen!