Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Um clique curioso #19


Esta matéria é parte integrante de uma série de fotos e/ou vídeos especialmente escolhidos em nosso acervo analógico e digital, trazendo algum tipo de curiosidade, raridade ou informação interessante a respeito destas imagens, seja acerca da aeronave em si ou um fato ou história relacionados a ela. Ocasionalmente, publicaremos uma destas imagens, junto com um pequeno texto explicativo sobre a mesma. Informamos que a preocupação aqui não é com a qualidade em si da imagem, mas com o seu resgate histórico, tendo ainda o objetivo de auxiliar na preservação de uma parte da memória e da cultura aeronáutica brasileira. Seja muito bem vindo(a) a bordo e boa leitura!


Dassault Mirage IIIEBR, FAB 4922, Base Aérea de Canoas, Outubro de 2004.

Em outubro de 2004 o Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA) deslocou-se com dez aeronaves Mirage IIIEBR/DBR para Canoas/RS a fim de participar do Exercício Terral, em conjunto com os Northrop F-5E/F Tiger II do Esquadrão Pampa. O período do treinamento coincidiu com a realização da Expoaer daquele ano, dando a oportunidade aos presentes de ver ou registrar esses fantásticos caças com asas em delta e linhas elegantes. Dentre os Mirage presentes em Canoas estava o FAB 4922 ostentando a pintura comemorativa aos 30 anos de emprego da aeronave com a Força Aérea Brasileira, idealizada em 2002 pelo designer gráfico Reinor Fernandes. Esse avião também ficou conhecido entre os spotters como "Louro José", em alusão a um papagaio, personagem de um programa matinal de uma certa emissora de TV.

A Força Aérea Brasileira adquiriu no início da década de 70, na França, um lote original de 12 Mirage IIIE (monopostos, matriculados entre FAB 4910 a FAB 4922*) e 4 Mirage IIID (bipostos, recebendo as matrículas FAB 4900 a FAB 4903), todos novos de fábrica, ganhando no Brasil a denominação de F-103E/D, respectivamente, todos alocados à Primeira Ala de Defesa Aérea (1ª ALADA), posteriormente Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), em Anápolis/GO, ingressando a FAB na era dos caças supersônicos. Posteriormente, com a finalidade de repor aeronaves perdidas e manter a capacidade operacional, mais alguns jatos Mirage foram adquiridos a partir de 1980, totalizando mais nove E (FAB 4923 a FAB 4931) e seis D (FAB 4904 a FAB 4909). Sobre dois desses bipostos falaremos em breve em outra matéria.





Nota Editorial: Pesquisando as datas de recebimento das aeronaves, não encontramos quando efetivamente aconteceu o recebimento do FAB 4922. Ele não se encaixa na série de matrículas original de 12 aeronaves, começando em FAB 4910 nem pertenceu às primeiras reposições, iniciadas com a aeronave FAB 4923. Fato é que até a desativação do Mirage III, em 31 de dezembro de 2005, a Força Aérea Brasileira operou um total de 22 modelos monopostos e 10 da versão biposta.


Mirage IIIEBR, FAB 4922, Base Aérea de Canoas, Outubro de 2004.






0 comentários:

Postar um comentário