Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Trinta segundos sobre Tokyo





O Raide Doolittle foi uma audaciosa operação militar com o lançamento de uma missão ou raide de bombardeio a partir da costa japonesa, realizado em 18 de Abril de 1942. A operação teve como objetivo, servir de propaganda e como uma resposta ao ataque a Pearl Harbor. Foi planejado pelo Tenente-Coronel James Harold Doolittle e foi possível graças ao técnico de observação, o Capitão Francis Low, que afirmou que aviões de dois motores podiam ser lançados de um porta-aviões. Testes subsequentes provaram que um B-25 Mitchell podia ser lançado com uma carga de bombas razoável, atingir alvos no Japão e depois aterrar na China.

Dezesseis B-25 americanos foram carregados no USS Hornet, com 230 kg de bombas e quantidade extra de combustível mas com armas de defesa reduzidas. Os aviões foram postos no convés de descolagem na ordem de lançamento e verificados. O USS Hornet deixou o porto em 2 de Abril e juntou-se ao USS Enterprise no oceano Pacífico. Os dois porta-aviões, juntamente com uma frota de catorze navios de escolta, partiram para a zona de lançamento. Contudo, os bombardeiros foram lançados enquanto ainda a 800 milhas da costa do Japão ao invés das desejadas 450 a 650 milhas. A frota avistou um barco de patrulha Japonês. Embora o barco de patrulha tenha sido afundado por fogo de artilharia americano, foi decidido lançar os aviões, para o caso em que o barco de patrulha tivesse alertado por rádio o Japão. Todos os B-25s chegaram à costa japonesa, largaram as suas bombas em zonas de armazenamento de petróleo, fábricas e instalações militares em Tóquio e Nagoya, e dirigiram-se para leste do mar da China.

Os bombardeiros, no entanto, ao chegarem começaram a ficar com pouco combustível, e o tempo começou a piorar rapidamente. As tripulações se deram conta que não conseguiriam chegar às bases aéreas chinesas e tiveram a opção ou de saltar dos aviões para o mar ou de fazer uma aterragem forçada em terra. Um avião aterrou em Vladivostok, onde a sua tripulação acabou sendo detida pelos soviéticos juntamente com o avião, já que a União Soviética tinha acordos de não agressão com o Japão e suas relações diplomáticas eram neutras.


Em comparação com os ataques dos B-29 contra o Japão, dois anos depois, o ataque foi um esforço simbólico. Quando as notícias do ataque foram publicadas, o moral americano subiu muito. O ataque obrigou aos japoneses a transferência para as ilhas do Japão de unidades de caças que poderiam ter sido empregadas contra os Aliados, e usadas na tentativa de destruir a armada americana na Batalha de Midway.































Fontes comsultadas:

http://www.nationalmuseum.af.mil/
jttp://www.theatlantic.com
http://www.acc.af.mil/
http://timothyblotz.files.wordpress.com/
http://olive-drab.com/
http://www.history.navy.mil/
http://www.maritimequest.com/
http://www.commandposts.com/

0 comentários:

Postar um comentário