Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

sábado, 29 de outubro de 2016

IU-50: O Laboratório Voador da FAB em Florianópolis




Registramos na manhã deste sábado (29/10), a presença no Aeroporto Internacional Hercílio Luz (FLN/SBFL) de uma das mais sofisticadas e especializadas aeronaves da Força Aérea Brasileira, recentemente incorporada em seu acervo. Estamos falando do Embraer EMB-550 Legacy 500, designado na FAB como IU-50 e pertencente ao Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), com sede no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro/RJ. Nos últimos dias a aeronave tem sido vista em diversos aeródromos da Região Sul, entre eles, os de Londrina e Maringá, no Paraná e Navegantes, em Santa Catarina. E hoje chegou a vez de Florianópolis. Por sorte estávamos presentes nas proximidades da cabeceira 32 do Hercílio Luz e conseguimos realizar as imagens que compõem esta matéria, a qual passamos a compartilhar com nossos leitores a partir de agora.


Embraer EMB-550 Legacy 500 - FAB 3601 (IU-50) 

Recebido oficialmente no dia 23 de setembro deste ano, o avião com a matrícula FAB 3601 é o primeiro de uma encomenda de seis aeronaves do tipo, destinadas a substituir inicialmente os veteranos bimotores IC-95B e IC-95C Bandeirante e, posteriormente os Hawker 800XP. A chegada da segunda aeronave ao GEIV está prevista para dezembro deste ano e as outras quatro até o final de 2020. Resultado do Programa intitulado I-X, o IU-50 incorpora uma infinidade de novos recursos e funcionalidades, aliando tecnologia de ponta, alta performance, design moderno e sistemas embarcados de última geração, constituindo-se em uma das aeronaves mas modernas do mundo neste tipo de missão e elevando de maneira significativa o patamar operacional da Unidade Aérea, que tem como missão principal a aferição de todos os equipamentos de auxílio à navegação, comunicação e vigilância aérea presentes nos aeroportos espalhados pelo território nacional, garantindo que os mesmos estejam funcionando de maneira correta, a fim de garantir a segurança de voo.


O IU-50 deverá substituir num primeiro momento os IC-95C Bandeirante (em cima) e posteriormente os Hawker IU-93A (acima). 


Concebido como um verdadeiro laboratório voador, o IU-50 incorpora a última palavra em equipamentos eletrônicos para cumprir suas missões, entre eles, o Sistema de Inspeção em Voo UNIFIS 3000. Telas de 15 polegadas permitem aos operadores a visualização de cartas de navegação georreferenciadas, imagens das superfícies/relevo virtualizadas, além de outras importantes informações ao longo do voo. O SVS (Synthetic Vision System (do português, Sistema de Visão Sintética), proporciona aos pilotos uma melhor consciência da operação, sobretudo, em condições de baixa visibilidade e no sobrevoo de territórios desconhecidos. O sistema integra um banco de dados de terrenos e relevos, visualizados em tempo real conforme a localização da aeronave. O SVS oferece à tripulação uma visão tridimensional altamente detalhada do solo, mesmo em situações de voo por instrumentos com visibilidade nula.

Imagem mostrando a rota das diversas passagens do FAB 3601 e seus afastamentos e órbitas para se adequar aos demais tráfegos aéreos em direção ao Aeroporto Hercílio Luz, na manhã deste sábado (Fonte: Flightradar24)

Decolagem

Passagem baixa sobre a pista principal. 

Detalhe da seção dianteira da fuselagem.


Vídeo mostrando uma das passagens baixas.

Além dos equipamentos específicos de missão, o jato ainda conta com tecnologia de voo Fly-By-Wire (sistema que transmite eletronicamente os comandos do piloto às superfícies de controle do avião), Outras vantagens em relação às atuais aeronaves operadas pelo GEIV incluem uma menor necessidade de pista para pousos e decolagens, um maior alcance (cerca de 5,787 km) e um tempo maior de inspeção e manutenção (a cada 750 horas de voo). Estas características, aliadas aos equipamentos de última geração, sem sombra de dúvida trazem segurança e conforto à tripulação, além de confiabilidade e precisão aos dados coletados.




0 comentários:

Postar um comentário