Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Portões Abertos - 100 Anos da Aviação Naval





A Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), situada na cidade de mesmo nome e localizada na Região dos Lagos, litoral norte do Estado do Rio de Janeiro, realizou no último sábado, dia 21 de maio, o evento de "Portões Abertos" em comemoração ao Centenário da Aviação Naval e aos 50 anos da BAeNSPA, única Base Aérea da Marinha do Brasil, criada em 10 de maio de 1966. A boa divulgação do evento junto à população de São Pedro da Aldeia e municípios vizinhos, incluindo diversas exposições estáticas de helicópteros da Marinha nestas cidades nas semanas anteriores, ajudaram a atrair um grande público, superando em muito as 9.000 pessoas do último Portões Abertos, realizado em 2013. O blog Aviação em Floripa esteve presente e, como resultado da nossa visita, elaboramos uma matéria especial com muitas fotos e informações a respeito deste evento histórico.


Uma das iniciativas da organização para promover o evento, foi a colocação de um balão com o logotipo do Centenário da Aviação Naval na rodovia que dá acesso à cidade.

Vista parcial do público presente.

Antes de iniciar a matéria, gostaria de compartilhar com nossos leitores um pequeno relato pessoal. Além da importância da participação no evento que comemora os 100 anos da Aviação Naval, a minha presença na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia também teve um forte componente afetivo, pois como filho de militar da Marinha, tive o privilégio de morar cinco anos na cidade, entre os anos de 1984 e 1989. Foi presenciando de maneira próxima o cotidiano da Base e as atividades das aeronaves ali sediadas, que passei a ter um respeito, admiração e carinho muito grande pela Aviação Naval. Passados mais de 27 anos, percorrer novamente os Hangares, o Pátio de aeronaves e demais dependências da BAeNSPA sem dúvida foi algo especial para mim e certamente trouxe-me muitas recordações.


Um pouco de história


A história da Aviação Naval brasileira iniciou-se em 23 de agosto de 1916 com a criação da Escola de Aviação Naval (EAvN) na cidade do Rio de Janeiro/RJ. O pioneirismo no emprego de aeronaves militares no Brasil em prol da segurança e do desenvolvimento nacional, contribuiu para o desbravamento das rotas aéreas e em operações de patrulha em defesa do nosso litoral durante a Primeira Guerra Mundial. Com a criação do Ministério da Aeronáutica em janeiro de 1941, a Aviação Naval e a Aviação Militar, pertencente ao Exército, perderam seu componente aéreo, porém, em 1952, a utilização de aeronaves pela Marinha ressurge com a Diretoria de Aeronáutica da Marinha (DAerM) e a posterior aquisição de helicópteros para operar a bordo do porta-aviões Minas Gerais. Para sediar os novos Esquadrões, é criada em 10 de maio de 1966 a Base Aérea Naval em São Pedro da Aldeia/RJ. Um novo capítulo é escrito em abril de 1998 quando a Marinha ganhou novamente o direito de operar suas próprias aeronaves de asa fixa.

Atualmente a Aviação Naval brasileira possui cinco Unidades Aéreas de helicópteros sediadas em São Pedro da Aldeia e uma operando aviões. Além disso, possui outros três Esquadrões com helicópteros baseados nas cidades de Manaus/AM, Ladário/MS e Rio Grande/RS. Além de patrulhar nossos mares e águas interiores, os meios aéreos da Marinha cumprem uma ampla gama de atividades em prol da soberania nacional e do desenvolvimento e integração do país, tais como, missões de Busca e Salvamento, assistência hospitalar às populações ribeirinhas da Amazônia e Pantanal, apoio à Defesa Civil em situações de calamidade pública, auxílio à Diretoria de Hidrografia da Marinha e ao Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR).


A Macega


Criada pelo Decreto nº 58.378 de 10 de maio de 1966, a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia é a única do tipo no Brasil e tem como missões, realizar as atividades administrativas, cientificas, técnicas industriais e tecnológicas relacionadas à manutenção de aeronaves, equipamentos e componentes de aviação, controle do tráfego aéreo e prover apoio às Organizações Militares do Complexo Aeronaval de São Pedro da Aldeia, na área de logística e às atividades aéreas, a fim de contribuir para a prontificação dos meios aéreos destinados ao emprego nas tarefas do Poder Naval, Além disso, funciona como aeródromo alternativo para o tráfego aéreo dos aeroportos localizados na cidade do Rio de Janeiro e tem um papel fundamental na economia da região, sobretudo na cidade de São Pedro da Aldeia. A Base é também conhecida como "Macega", uma vegetação típica do litoral norte fluminense, onde se localiza. Da mesma forma, o termo é utilizado como código de chamada da sua Torre de Controle.


Placa de boas-vindas aos visitantes.

Com uma população de pouco mais de 90.000 habitantes, a cidade de São Pedro da Aldeia foi fundada em 16 de maio de 1617 e é um dos principais centros históricos, culturais e turísticos do Estado do Rio de Janeiro. Além do efetivo da BAeNSPA e suas famílias, a economia da cidade é movimentada pela pesca artesanal, turismo, comércio e extração de sal. 

Igreja Matriz de São Pedro. 

Casa dos Azulejos.


Um evento histórico e especial


Para comemorar o Centenário da Aviação Naval, a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia organizou um evento aberto à população. Sem dúvida, uma excelente oportunidade para se conhecer de perto as aeronaves utilizadas pela Marinha do Brasil e as atividades realizadas pelos militares que ali trabalham. O tempo bom proporcionou ao público presente um sábado de lazer diferente e quem compareceu teve à disposição uma programação diversificada com atrações para todas as idades. Ao longo do dia, além das aeronaves e das demonstrações aéreas, houve exposição de viaturas anfíbias e militares, apresentação de cães e da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), recreação infantil, show musical, paraquedismo, atendimento médico e odontológico, entre outras atividades. O Museu da Aviação Naval, único do gênero no país, abriu suas portas para o público conhecer através de fotos, documentos, equipamentos, motores e demais itens, a rica história da Aviação Naval brasileira. 

Nota editorial: A visita ao Museu da Aviação Naval será publicada em breve em uma matéria especial.




Viaturas do Corpo de Fuzileiros Navais em exposição. 


Show musical. 



Cães do Corpo de Fuzileiros Navais. 

Demonstração de obediência. 


As fotos acima mostram a situação de um suspeito que adentrou em Área Militar. Ele é revistado mas não esboça reação. Observe que o cão permanece apenas observando.





Num segundo momento, o invasor reage à revista do soldado e o cão imediatamente ataca o agressor.



Apresentação dos Paraquedistas do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC).


Dentro dos Hangares utilizados pelos Esquadrões, foram colocadas em exposição estática diversas aeronaves da Aviação Naval, incluindo um exemplar do McDonnell Douglas A-4 Skyhawk modernizado pela Embraer, agora denominado AF-1M. Além dos meios aéreos, armamentos, fardamentos e vários tipos de equipamentos militares estavam expostos. Também foi montada uma mostra fotográfica contando através de imagens toda a trajetória da Aviação Naval até os dias atuais. 



Mostra fotográfica.


Exemplar modernizado do A-4 Skyhawk em exposição estática. 

Esquilo UH-13 do Esquadrão HU-1 nas cores utilizadas nas operações na Antártida. 

Emblema da 34ª Operação Antártica. 

Helicóptero Bell Jet Ranger IH-6 do Esquadrão HI-1 usada em missões de Instrução.

 Eurocopter UH-15 Super Cougar do Esquadrão HU-2.

Westland Super Lynx AH-11A do Esquadrão HA-1.


Metralhadora FN Herstal M3M calibre 12,7 mm. 

Painel de instrumentos. 

Emblema do Esquadrão HA-1. 


Míisil antinavio Sea Skua. 



Detalhe do FLIR Star Safire III. 

Detalhe da torreta com o FLIR  e o radome do radar Marconi Seaspray Mk.3000.


No pátio em frente aos Hangares, outras aeronaves também estavam à disposição do público, entre elas, um Bell Jet Ranger IH-6 pertencente ao Primeiro Esquadrão de Helicópteros de Instrução (HI-1), um Helibras HB-350 Esquilo UH-12 operado pelo Primeiro Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1), um Eurocopter EC-725BR Super Cougar UH-15 do Segundo Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (UH-2), um McDonnel Douglas A-4 Skyhawk AF-1 pertencente ao Primeiro Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1), além de um Eurocopter AS-365 Super Pantera HM-1 do Primeiro Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx), sediado em Taubaté/SP. Além do HM-1 Super Pantera exposto no pátio, outras duas aeronaves da Aviação do Exército também participaram do evento. Um Helibras AS-550 Fennec HA-1 e um Eurocopter EC-725 Jaguar HM-4, ambos também pertencentes ao 1º BAvEx. 


Bell Jet Ranger IH-6 - HI-1. 

Bell Jet Ranger IH-6 e Helibras UH-12 Esquilo. 




Helibras UH-12 Esquilo - HU-1



Eurocopter UH-15 Super Cougar - HU-2.










McDonnell Douglas A-4 Skyhawk - VF-1.



Eurocopter HM-1 Super Pantera - 1º BAvEx/EB.







HA-1 Fennec - 1º BAvEx/EB. 






HM-4 Jaguar - 1º BAvEx/EB.


A Força Aérea Brasileira marcou presença com o Esquadrão de Demonstração Aérea, popularmente conhecido como Esquadrilha da Fumaça, apresentando-se em São Pedro da Aldeia pela primeira vez com os novos aviões A-29 Super Tucano, Ainda na sexta-feira, o treinamento para a demonstração dos "Embaixadores do Brasil nos Céus" com seus sete aviões pintados com as cores da bandeira brasileira chamaram a atenção de quem circulava pela cidade, servindo como chamariz e aguçando a curiosidade da população para o evento. Uma aeronave Embraer EMB-120 Brasília (C-97) pertencente ao Quarto Esquadrão de Transporte (4º ETA), o Esquadrão Carajá, também esteve presente apoiando o deslocamento do EDA.



























No final da tarde a Esquadrilha da Fumaça deixou São Pedro da Aldeia rumo à cidade de Santa Rita do Sapucaí/MG, onde se apresentou ontem, dia 22 de maio. Abaixo, as fotos da saída da aeronave que antecede a chegada do EDA, chamada de precursora, com direito a um showzinho com fumaça para o público.














C-97 Brasília - 4º ETA.


Além das aeronaves em exposição estática, a Aviação Naval colocou na linha do voo todos os tipos operados atualmente pela Força Aeronaval e foram eles, ao lado da Esquadrilha da Fumaça, os protagonistas das principais demonstrações aéreas programadas para o dia, não deixando que ninguém desgrudasse por um segundo os olhos do céu, mostrando todo o treinamento, a perícia e o arrojo do aviador militar brasileiro.
















Demonstração conjunta entre aeronaves UH-15 Super Cougar do HU-2 e UH-12 Esquilo do HU-1 com o Grupamento de Mergulhadores de Combate do Corpo de Fuzileiros Navais, simulando um assalto a uma posição em terra, com descida do helicóptero utilizando a técnica chamada de Fast Rope. Enquanto a ação de desenrola o helicóptero Esquilo dá cobertura do ar. Finalizada a operação, as aeronaves se retiram da área.,














Demonstração do helicóptero Super Lynx AH-11A - Esquadrão HA-1
















Demonstração do helicóptero Sikorsky MH-16 Sea Hawk do Esquadrão HS-1





















Demonstração do helicóptero Bell Jet Ranger III IH-6B do Esquadrão HI-1




Helicóptero UH-14 Super Puma do Esquadrão HU-2 com o Pavilhão Nacional




Aguardada com grande expectativa por todos os presentes, a demonstração do caça McDonnell Douglas A-4 Skyhawk encerrou a participação das aeronaves da Marinha. Para a felicidade dos spotters presentes, a aeronave escalada foi o AF-1 Falcão com a matrícula N-1004 ostentando a belíssima pintura alusiva aos 15 anos de criação do VF-1.













Considerações Finais


Assim como parecia que o dia 21 de maio nunca chegaria no calendário, da mesma forma ele rapidamente se foi. Sinal de que algo agradável e prazeroso aconteceu, pois quando nos divertimos, o tempo parece passar com maior brevidade. Para quem esteve lá e testemunhou este Portões Abertos histórico, sejam meros expectadores ou entusiastas da aviação, ficou no ar um misto de felicidade e de saudade jà aguardando pelo próximo evento, o qual esperamos que não tarde a ocorrer. Acima de tudo, com a expressão sincera de alegria e de encantamento que lhes são peculiares, estavam as crianças. Para muitas delas, tenho certeza que esta data foi marcante e serviu como fonte de inspiração, Daqui há 10 ou 15 anos, ao perguntarem aos recém-formados Aviadores Navais o que os motivou a ingressar na carreira, alguns deles certamente responderão que foi por causa do Portões Abertos do Centenário da Aviação Naval.


Agradecimentos


O blog Aviação em Floripa gostaria de agradecer ao Comando da Força Aeronaval (ComForAerNav) e à Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA) pela iniciativa e pela organização do Portões Abertos alusivo ao Centenário da Aviação Naval. Agradecimentos à Assessoria de Comunicação do Comando da Força Aeronaval, em especial, à Primeiro-Tenente KARLA e ao Segundo Sargento  SARDINHA, pelo apoio irrestrito, informações prestadas e acessos aos locais para a realização das fotos. Sem esse suporte esta matéria não teria sido possível.






2 comentários:

Postar um comentário