Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Guia de spotting em Florianópolis





É com alegria e satisfação que apresentamos aos nossos leitores esta matéria especial trazendo fotos e informações sobre alguns dos principais locais para se fotografar aeronaves (também chamados de spotting points) em Florianópolis. Ao longo do tempo recebemos muitas indagações, dúvidas e pedidos de dicas sobre estes lugares, assim, decidimos confeccionar este guia, com o objetivo de ajudar a elucidar estas questões. Com trabalhos do gênero brilhantemente publicados pelas equipes do TMA Curitiba (abrangendo o Aeroporto Afonso Pena) e do POA Spotter (trazendo informações sobre o Aeroporto Salgado Filho), acreditamos que a capital catarinense ainda não tinha um trabalho desta natureza e, dessa forma, durante o mês de janeiro, nos dispusemos a percorrer alguns destes locais.  É este material que passamos a compartilhar com vocês nesta matéria, esperando que as informações aqui apresentadas possam de alguma maneira ser úteis a todos aqueles que aqui residem ou venham a visitar nosso aeroporto com o intuito de fotografar aeronaves.


O começo de tudo


Tão logo os primeiros aviões ganharam os céus, no início do século XX, começou o fascínio do homem por estas fantásticas máquinas voadoras. Porém, foi durante a Segunda Guerra Mundial, que o hábito de observar aeronaves ganhou força, principalmente na Inglaterra, onde pessoas comuns eram encarregadas de vigiar os céus em busca de aviões alemães com o objetivo de alertar sobre possíveis ataques. Inicialmente atrelada à necessidade, com o término do conflito, a prática se difundiu mundo afora e ganhou status de hobby ou passatempo e até mesmo trabalho remunerado, agregando uma verdadeira legião de fãs. Nascia assim o spotting ou plane spotting, que pode ser entendido como o ato de observar, fotografar ou registar as aeronaves e tudo aquilo que está ligado a elas.


O Spotter


Com uma câmera fotográfica, filmadora, binóculos ou simplesmente utilizando a vista desarmada, em qualquer aeroporto do mundo sua presença não passa despercebida. Estamos falando dos spotters, como são conhecidas as pessoas dedicadas ao ato de observar ou registrar aeronaves. Sozinho ou em grupos, cada um tem seus interesses específicos, objetivos próprios e aeronaves preferidas, porém, acima de tudo está o amor e a paixão pela aviação e algumas características ou qualidades que parecem ser inerentes a todos, entre elas, a persistência e a paciência, para às vezes ficar horas a fio, debaixo de Sol ou chuva, frio ou calor, de dia ou à noite, aguardando aquela aeronave especial ou que se quer fotografar.

Atentos a este fenômeno, muitos aeroportos, principalmente na Europa, têm áreas especificas e dedicadas ao spotting ou mesmo à promoção de eventos com esta finalidade. No Brasil estas atividades também passaram a tomar forma e a figura do spotter começou a ser prestigiada e valorizada, sobretudo a partir do ano passado, quando alguns aeroportos brasileiros organizaram pela primeira vez eventos deste tipo, chamados de Spotter Day. Digno de nota e talvez um dos pioneiros na prática e na divulgação do hobby no Brasil é o grupo AeroIn, que todos os anos, planeja e organiza sessões de spotting nos aeroportos de Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, reunindo centenas de aficcionados por fotografia e aviação.


O Aeroporto


Localizado na Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), o Aeroporto Internacional Hercílio Luz (FLN/SBFL) é atualmente administrado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO) e recebe durante todo o ano, voos comerciais regulares das quatro principais companhias aéreas nacionais, GOL, TAM, Azul e Avianca Brasil. Durante os meses de alta temporada, notadamente entre dezembro e fevereiro, a movimentação aérea ganha força com os voos fretados de passageiros procedentes do Chile, Argentina, Paraguai e Uruguai. Também é comum a presença de aeronaves executivas e militares, motivada pela Base Aérea de Florianópolis (BAFL), que ocupa área anexa ao aeroporto e utiliza as suas pistas de pousos e decolagens. Os voos cargueiros não são comuns, o único regular é o realizado pela Total Cargo em atendimento à Rede Postal Noturna (RPN) dos Correios, executado por aeronave Boeing 727, porém, difícil de ser fotografada, pois normalmente decola no final da noite com destino a Guarulhos (SP) e retorna a Florianópolis do final da madrugada no dia seguinte, permanecendo durante todo o dia, afastada dos olhares curiosos e das lentes das máquinas fotográficas.

A atual estrutura do aeroporto conta com um Terminal de Passageiros, diversos hangares, Seção de Combate a Incêndio, um pátio de estacionamento principal de aeronaves com cinco posições para aviões do porte de um Airbus A320 ou Boeing 737 e um pátio secundário e de pernoite. Possui duas pistas de pousos e decolagens, a principal (14-32) com pavimento asfáltico e 2.300 metros extensão e a auxiliar (03-21), com 1.500 metros de comprimento e revestida por concreto. Para servi-las, existem três pistas de acesso ou taxiways, a Alfa, a Bravo e a Charlie, esta última exclusiva para acesso à Base Aérea de Florianópolis. Toda a movimentação de pessoas, aeronaves e viaturas em terra, bem como os pousos e decolagens são coordenados e monitorados pelo Destacamento de Controle do Espaço Aérea de Florianópolis (DTCEA-FL), a partir das instalações junto à Torre de Controle. O órgão também é responsável pelas informações meteorológicas e a operação e manutenção dos equipamentos de proteção ao voo e de auxílio à navegação aérea.

Imagem de satélite do Aeroporto Internacional Hercílio Luz e as suas principais estruturas, identificadas abaixo. Clique para ampliar. (Google Earth)

1. Terminal de Passageiros
2. Patio principal
3. Pátio secundário
4. Taxiway Alfa
5. Taxiway Bravo
6. Taxiway Charlie
7. Base Aérea de Florianópolis
8. Pista Auxiliar 03-21
9. Pista Principal 14-32
10. Torre de Controle
11. Obras do novo Terminal de Passageiros

Em todos os aeroportos do mundo, as pistas de pousos e decolagens são construídas de acordo com os ventos mais comuns na região, de forma a permitir que na maior parte do tempo eles estejam o mais perfeitamente alinhados com as pistas, uma vez que, para garantir maior estabilidade e sustentação, as aeronaves sempre pousam e decolam contra o vento. Assim, a numeração presente nas cabeceiras está associada aos ventos predominantes e indica a sua direção, levando em consideração o seu afastamento em graus em relação ao Polo Norte magnético. No caso de Florianópolis, significa dizer que a pista principal (14-32) tem suas cabeceiras alinhadas na direção 140° (sudeste) e 320° (noroeste), aproximadamente. Por sua vez, a pista auxiliar (03-21), apresenta as cabeceiras posicionadas na direção 30° (entre norte-nordeste e nordeste) e 210° (entre sul-sudoeste e sudoeste). Ventos do quadrante Sul, indicam operações de pousos e decolagens pelas cabeceiras 14 ou 21 e ventos do quadrante Norte, pelas cabeceiras 32 ou 03. Tudo é permanentemente avaliado e constantemente monitorado pela Torre de Controle que, em função da segurança, tem a palavra final sobre qual cabeceira estará sendo utilizada.


Os Spotting Points


A figura abaixo mostra de forma aproximada o posicionamento da pista principal em relação aos pontos cardeais e ao deslocamento do Sol de acordo com as estações do ano. Isto é importante para determinar o ângulo de incidência da luz sobre as aeronaves em relação à pista. Nos meses de verão, o Sol está mais deslocado para o Sul, assim, a luz apresenta-se de forma mais paralela à pista. Por sua vez, nos meses de inverno, o Sol volta-se para o Norte e os raios solares se apresentam de maneira mais oblíqua. Como em fotografia tudo se resume à quantidade de luz sobre um determinado objeto, pode-se concluir que a melhor época para se fotografar aeronaves em Florianópolis é o inverno, pois a posição do Sol “joga” mais luz sobre as aeronaves, desde as primeiras horas da manhã. Outro ponto favorável é a quantidade maior de dias de céu claro, sem a presença de nuvens, sobretudo logo após a entrada de massas de ar polar, quando a visibilidade atinge o ponto máximo, tornando esta combinação perfeita para se fotografar.


Imagem com a posição aproximada da pista principal em relação aos pontos cardeais e o deslocamento do Sol ao longo do ano. Clique para ampliar. (Google Earth)

Para esta matéria, apresentamos cinco locais propícios para a observação e o registro de aeronaves em Florianópolis, levando-se em consideração as cabeceiras em uso e questões como proximidade dos aviões, incidência de luz, tipos e ângulos das fotos, acessibilidade e segurança. Cada um dos lugares aqui tratados (identificados na imagem abaixo) ganhará um tópico à parte, contendo diversos tipos de informações, imagens de satélite com a sua localização, além de fotos que mostram de que forma as aeronaves podem ser registradas ou observadas de cada um deles. Nunca é demais lembrar que o bom spotter sempre deve ter em mãos o seu kit de sobrevivência básico, formado por chapéu ou boné, água, protetor solar, e claro, seu equipamento fotográfico.

Nesta imagem podem ser visualizados os spotting points tratados nesta matéria (identificados abaixo) e sua localização em relação ao aeroporto. Clique para ampliar. (Google Earth)

1. Centro Histórico de São José
2. Rodovia Aparício Ramos Cordeiro
3. Rodovia SC-405
4. Mirante do Terminal de Passageiros
5. Rua Vereador Osvaldo Bittencourt


1. Centro Histórico de São José

Este é o único local apresentado nesta matéria que fica fora da Ilha de Santa Catarina e também o mais distante em relação ao aeroporto, entretanto, seu interesse reside no fato de que é o último ponto de onde se pode fotografar as aeronaves em aproximação para pouso pela cabeceira 14. Por ser quase alinhado com o eixo da pista principal, permite fotos que mostram a parte inferior e a lateral esquerda das aeronaves e o lugar é indicado para fotos no período da manhã. Fica localizado atrás da Câmara Municipal de São José, no Centro Histórico.

Localização do spotting point. Clique para ampliar (Google Earth)

Vista geral do local.

Além das aeronaves, o local tem um visual incrível, principalmente ao amanhecer.

Como chegar:

Para quem estiver de carro, partindo de Florianópolis, deve acessar a Via Expressa, fazer a alça de contorno em direção à BR-101 Sul e pegar a primeira saída à direita, seguindo pela marginal da BR-101 até o túnel do bairro Roçado. Após passar por baixo da rodovia, virar na primeira à direita e depois pegar a Rua Joaquim Vaz, seguindo por ela até a Praça de São José, quando deve virar à esquerda em direção à Câmara de Vereadores. Possuindo GPS é só digitar Praça Arnoldo Souza, 38.

De ônibus, partindo do Terminal Central (TICEN), pegar qualquer linha da empresa JOTUR que siga em direção ao município de Palhoça via Centro Histórico de São José e saltar na parada da Praça de São José. Depois é só atravessar a rua em direção à Câmara de Vereadores. Abaixo, mostramos algumas fotos realizadas deste local.












2. Rodovia Aparício Ramos Cordeiro

Este ponto situa-se na parte sul de Florianópolis e está localizado no início da Rodovia Aparício Ramos Cordeiro, estrada que liga a Rodovia SC-405 aos bairros Ribeirão da Ilha e Tapera. Ele permite obter fotos das aeronaves em aproximação pela cabeceira 32, preferencialmente no período da manhã. Como está localizado próximo à pista, os aviões passam a uma altura relativamente baixa, permitindo fotos interessantes sem a utilização de lentes com longo alcance. Um ponto negativo é a ausência de locais para se abrigar do Sol ou da chuva, caso não se esteja de carro.

Localização do spotting point. Clique para ampliar (Google Earth)

Vista geral do local.

Como chegar:

De carro, partindo do Centro de Florianópolis, atravesse o Túnel Antonieta de Barros em direção à Via Expressa Sul. Mantendo a pista central ou da esquerda, passe por cima do Viaduto do Trevo da Seta, acessando a Rodovia SC-405. Chegando ao Trevo do Rio Tavares, vire à direita e siga em frente por cerca de dois quilômetros e meio, até a entrada da Rodovia Aparício Ramos Cordeiro, indicada por uma placa apontando para os bairros Ribeirão da Ilha e Tapera. Ingressando nela, logo à frente, do lado esquerdo, você verá um terreno que serve como depósito de aterro e um estacionamento que está sendo construído. Cruzando a via, você chegou ao seu destino.

Utilizando o transporte público, pegue no TICEN a linha 410 (Rio Tavares Direto). Chegando ao Terminal de Integração do Rio Tavares (TIRIO), embarque em qualquer ônibus que leve aos bairros mais ao sul de Florianópolis, entre eles, Pântano do Sul, Costa de Dentro, Costa de Cima, Armação ou Ribeirão da Ilha. Peça para descer na parada mais próxima da entrada da Rodovia Aparício Ramos Cordeiro, caminhe por ela por cerca de 400 metros e pronto, você chegou ao local. Seguem abaixo, alguns registros efetuados deste lugar.










3. Rodovia SC-405

Localizado em frente ao número 2710 da Rodovia SC-405, o diferencial deste local é a oportunidade de efetuar fotos da parte inferior das aeronaves, pois ele está praticamente alinhado com o eixo da pista principal. Assim como o spotting point anterior, ele é propício para aproximações pela cabeceira 32, porém, ao contrário daquele, aqui as melhores fotos são obtidas no período da tarde. Uma boa dica, já que são extremamente próximos, é fotografar pela manhã da Rodovia Aparício Ramos Cordeiro e na parte da tarde, seguir para este local, que também não apresenta abrigo contra o Sol ou intempéries.

Localização do spotting point. Clique para ampliar (Google Earth)

Vistas geral do local, observe ao fundo uma aeronave que acabara de passar em direção à cabeceira 32.

Como chegar:

Tanto de carro quanto de ônibus, a rota praticamente é a mesma que leva à Rodovia Aparício Ramos Cordeiro, entretanto, em vez de entrar na referida estrada, deve-se seguir em frente pela Rodovia SC-405 por mais alguns metros. O local exato é marcado por uma residência com o número 2710. Pode-se fotografar do acostamento da rodovia ou de uma rua de terra batida ao lado da referida casa. Se estiver de carro, para evitar problemas com a Polícia Rodoviária Estadual, não estacione no acostamento da rodovia. Utilize a rua que citamos. Nas proximidades também existe um posto de combustíveis, onde podem ser adquiridos alimentos e água. Abaixo, algumas fotos feitas deste local.


















4. Mirante do Terminal de Passageiros

Localizado dentro do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, este ponto permite fotos dos pousos e decolagens por ambas as cabeceiras, rolagem sobre a pista principal, deslocamento pela taxiway Bravo, estacionamento e push back das aeronaves no pátio principal. O melhor período para se fotografar é durante a manhã, mas também pode se obter boas fotos na parte da tarde. Os pontos negativos são a visão dificultada do pátio pelo Módulo Operacional Provisório (MOP), o famoso “puxadinho” e o vidro, que em função da sujeira e dos reflexos dos spots de luz das vitrines das lojas e luminárias, atrapalham bastante, principalmente em dias nublados. Durante a noite, fotos deste local são praticamente impossíveis. Deixo aqui duas dicas, adicione ao kit de sobrevivência, um paninho para limpar o vidro. A outra é a seguinte, de todas as janelas, a melhor para se fotografar é a última, olhando-se da esquerda para a direita, encostada à cafeteria, onde o reflexo é menor.

Localização do spotting point. Clique para ampliar (Google Earth)

Fachada principal do Terminal de Passageiros.

 Vista do pátio principal a partir do Mirante.

Vista geral do Mirante. O melhor local para fotografar é o último vidro, encostado à cafeteria.

Como chegar:

De carro siga para o aeroporto pela Via Expressa Sul, mantendo-se na pista mais à direita e contornando lateralmente o Viaduto do Trevo da Seta. Siga em frente pela Avenida Deputado Diomício Freitas até o aeroporto. Se não quiser pagar o estacionamento do aeroporto ou os particulares, que não são baratos, há a possibilidade de estacionar com segurança em ruas próximas, sem maiores problemas.

Se for utilizar o transporte coletivo, pegar no TICEN as linhas 183 (Corredor Sudoeste) ou 186 (Corredor Sudoeste Semidireto). Ambas têm paradas em frente ao Terminal de Passageiros. Abaixo, algumas fotos possíveis de serem feitas deste local.











5. Rua Vereador Osvaldo Bittencourt

Deixamos o melhor para o final. No nosso entendimento, este é o principal spotting point para se fotografar aeronaves em Florianópolis, seja pela proximidade da pista principal (cerca de 300 metros), seja pela paisagem de fundo, emoldurada por vegetação e montanhas, seja pelo grande número de ângulos diferentes que se pode explorar durante o pouso, táxi e decolagem por ambas as cabeceiras. Localizado no final da Rua Vereador Osvaldo Bittencourt, aqui é possível fotografar durante todo o ano e as melhores condições de luz apresentam-se no período da manhã. Uma boa sugestão é, se for possível, levar uma escada portátil, permitindo realizar as fotos por cima do alambrado.

Localização do spotting point. Clique para ampliar (Google Earth)

Vista geral do local.

Aqui uma escada sempre é bem-vinda.

Como chegar:

Para quer for de carro, é só seguir o mesmo caminho em direção ao aeroporto, porém, deve-se dobrar antes, à esquerda, logo após passar o Mini Mercado Martins, seguindo pela esquerda até o final da rua.

De ônibus o trajeto também é similar, acrescentando-se além das linhas citadas no tópico anterior, as de número 467 (Tapera/Saco dos Limões), 461 (Tapera via Túnel) ou 153 (Costeira do Pirajubaé). Esta última entra na rua Vereador Osvaldo Bittencourt e tem uma parada a poucos metros do local. Para as outras, é preciso descer na Avenida Deputado Diomício Freitas e caminhar até o final da rua, um trajeto de cerca de um quilômetro. Abaixo, algumas fotos possíveis de serem feitas do local.














Finalizando esta matéria, esperamos que as informações, dicas e sugestões aqui apresentadas possam ser úteis para os spotters novatos ou veteranos. Com a conclusão do novo Terminal de Passageiros e das vias de acesso a ele, ainda sem prazo para término, certamente novos spotting points surgirão, porém, acreditamos que na atualidade, os locais aqui enumerados são os que reúnem o maior número de itens que elencamos para uma sessão de spotting proveitosa e agradável.




6 comentários:

Felipe Ferret disse...

Parabéns , belo guia!

Unknown disse...

Parabéns pelas informações muito bem detalhadas.
Vou divulgar para o pessoal da Companhia Indestrutíveis.

Saudações.

Dagoberto
Secretário.

pampa14 disse...

Muito Obrigado, Felipe e Dagoberto.

Wagner disse...

Excelente trabalho, parabéns.
Quanto ao último ponto (Rua Vereador Osvaldo Bittencourt), a Infraero deveria remover aquele "bota-fora" que restou da obra inacabada, ou, no mínimo, roçar o mato que está crescendo novamente.
Mais uma vez parabéns.
Wagner

pampa14 disse...

Obrigado, Wagner. Realmente, concordo contigo. Acredito que as montanhas de terra infelizmente só serão retiradas com o término da obra do novo Terminal de Passageiros.

Giovani Miottello disse...

Excelente matéria, parabéns !

Postar um comentário