Blog voltado para a divulgação da Aviação Comercial, Militar e Civil, mostrando através de textos informativos e
fotos, as aeronaves, suas histórias e curiosidades, Operações Militares, Eventos Aeronáuticos e muito mais!

Seja bem-vindo a bordo!!!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

II Torneio da Aviação de Reconhecimento - 2007

Realizou-se no período de 24 a 28 de setembro de 2007, a segunda edição do Torneio da Aviação de Reconhecimento (TAREC). O exercício foi conduzido na Região Sul, com o apoio da Base Aérea de Florianópolis, testando, assim, as Unidades Aéreas de Reconhecimento subordinadas à III FAE em um cenário compatível com as hipóteses de emprego desse tipo de missão num conflito real, além de oportunizar de que todos os Esquadrões conheçam as peculiaridades do emprego em outras regiões do Brasil.

O Torneiro da Aviação de Reconhecimento trata-se de uma competição entre as três Unidades Aéreas que realizam esse tipo de missão, dividindo-se em modalidades Aéreas e Desportivas, como: voleibol, corrida de orientação, cabo de guerra, tiro com arma portátil e o cumprimento das missões operacionais de Reconhecimento Aéreo.

A competição tem como objetivo consolidar e aprimorar a doutrina do Reconhecimento Aéreo, avaliar a capacidade das Unidades Aéreas, possibilitar o intercambio de experiências e conhecimentos entre os participantes, estimular e fortalecer o espírito de competição da Aviação de Reconhecimento, fortalecendo suas tradições.

A FAB dispõe atualmente de três unidades operacionais voltadas ao reconhecimento. O mais novo esquadrão é o "Guardião", baseado em Anápolis, GO, e que opera os Embraer R-99A e R-99B. Os R-99A são aeronaves de Alerta Aéreo Antecipado e Controle, dotadas de um potente radar Ericsson Erieye em seu dorso. Esse avião tem a capacidade de detectar qualquer aeronave que tenha invadido o espaço aéreo brasileiro, mesmo em baixas altitudes, o que garante a soberania do nosso espaço aéreo. Já o R-99B é uma avançada aeronave de sensoriamento, capaz de fornecer imagens e informações eletrônicas sobre objetivos no solo em tempo real. Ele vem equipado com uma variada gama de sensores complexos, que inclui um radar de abertura sintética (SAR) de alta performance, sensores eletroópticos e multiespectrais, e sistemas de comunicação e inteligência eletrônica.

O Esquadrão "Carcará" está sediado na Base Aérea do Recife e é empregado no cumprimento das missões de reconhecimento foto, visual e meteorológico. O esquadrão opera os R-95 Bandeirante e os R-35A Learjet.

O Esquadrão "Poker", baseado em Santa Maria, RS, é a única unidade da FAB que tem por missão principal o reconhecimento tático, operando desde 1999 as aeronaves Embraer RA-1A/B AMX. O esquadrão realiza o Reconhecimento Tático como função primária e mantém a capacidade de ataque, interdição e apoio aéreo aproximado.

Os RA-1 tem provisão para levar câmeras internas num compartimento abaixo e a esquerda do cockpit. O Pallet III usa câmeras Zeiss de longo alcance, para cobrir alvos de área e sensoriamento remoto. Este mesmo palete pode usar duas câmeras Vinten 360 para baixa altitude. O casulo nacional Gespi é levado no cabide central e leva quatro câmeras Vinten cobrindo a frente, abaixo e os lados da aeronave. Atualmente os RA-1 estão sendo equipados com os novos casulos Reccelite da Rafael (Israel) com datalink, podendo transmitir as imagens capturadas em tempo real.



Ao término das competições, o Esquadrão “Poker” somou maior pontuação e sagrou-se o campeão do II Torneio da Aviação de Reconhecimento. Aproveitamos para agradecer à Força Aérea Brasileira, ao Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, especialmente ao Ten. SILVA e à Seção de Comunicação Social da BAFL pela oportunidade de acompanhar o II TAREC.




 Embraer EMB-110 Bandeirante (R-95) - FAB 2245
1º/6º GAv - Esqd. Carcará - Base Aérea de Recife/PE



 Emblema do Esqd. Pelicano

 Logotipo comemorativo aos 50 anos do Esqd. Pelicano

 Embraer EMB-110P1K Bandeirante-SAR (SC-95B) - FAB 6545
2º/10º GAv - Esqd. Pelicano - Base Aérea de Campo Grande/MS




Emblema do Esqd. Phoenix. Todas as aeronaves de patrulha da FAB são "batizadas" com o nome de uma ave típica de ambientes aquáticos.

 Detalhe do estabilizador vertical do FAB 7106


 Embraer EMB-111 Bandeirante Patrulha (P-95B) - FAB 7106
2º/7º GAv - Esqd. Phoenix - Base Aérea de Florianópolis

Bandeirulha do Esqd. Phoenix, plugado a APU, prester a acionar os motores no pátio da BAFL.


 Cessna 208 Caravan (C-98) - FAB 2706
Seção Administrativa - Base Aérea de Florianópolis

Aeronave utilizada para missões de ligação entre as diversas Bases Aéreas e Comandos Militares da FAB.








 Detalhe da cauda do A-1 do Esqd. Poker, onde destaca-se o leão vermelho, símbolo do esquadrão e o logotipo comemorativo aos 60 anos da unidade.

AMX International (A-1A/B)
1º/10º GAv - Esqd. Poker - Base Aérea de Santa Maria/RS

Aeronaves do Esqd. Poker participantes do II TAREC. Os aviões estão utilizando o casulo de reconhecimento GESPI, no suporte ventral, sob a fuselagem.





 Detalhe da cauda do FAB 6001, com destaque para o logotipo estilizado do 1º/6º GAv

 Detalhe do compartimento que abriga o conjunto de sensores e câmeras fotográficas

Gates 35 Learjet (R-35A) - FAB 6001
1º/6º GAv - Esqd. Carcará - Base Aérea de Recife/PE


Fonte: CECOMSAER/ SCS BAFL

0 comentários:

Postar um comentário